IMG_4129.jpg

Artistas visuais de Uberlândia

Alex Oliveira, 30 anos. É jornalista de formação e trabalha como fotógrafo e artista visual. Desenvolve investigações artísticas envolvendo fotografia, performance e intervenção urbana.

Bruna Freitas, 22 anos. Estudada teatro na UFU e é artista multimídia. Trabalha com fotografia e audiovisual pelo coletivo Moviola Mídia Livre.

Daniel Rizoto, 38 anos. Formado em design gráfico, começou recentemente sua incursão pelos muros da cidade com suas obras. Atualmente é mestrando no curso de Artes Visuais da UFU.

Lorraine Santana é artista visual. Explora sobretudo o campo da ilustração em seus trabalhos. Com linhas minimalistas e suportes variados, explora elementos relacionados à memória e à vida.

Luiza Guedes, 28 anos. Mãe, artista, mineira, buscadora, ilustradora, designer. Para ela, pintar é uma ferramenta de encontro consigo, é a manifestação da sua essência. Suas ilustrações – sobre tela, papel, madeira, paredes e também no formato digital – transbordam seu mundo de sonhos, desejos, mitos e fantasias para atravessar mentes e corações.

Mari Cecílio, 26 anos. Artista visual, usa a fotografia analógica como base para suas criações e assina seu mundo onírico com o codinome Spiriti.

Neia Assis. Bacharel em Artes Visuais tem seu trabalho baseado na estética da estamparia, especialmente mosaicos geométricos que remetem a azulejaria. Seus trabalhos conduzem o espectador à apreciação da composição cromática, geométrica e simbólica das placas quadradas expandidas por meio da repetição das imagens.

Olivia Franco, 26 anos. É formada em Produção Audiovisual e trabalha na área há 6 anos. É uma das idealizadoras do projeto Moviola Mídia Livre, coletivo de fotografia e vídeo com trabalhos diversos realizados em todo Brasil.

Paula Maria, 22 anos. É jornalista de formação e trabalha com publicidade. Desenha desde que se entende por gente.

Paulo Lanna. Artista plástico de formação e ofício, mescla técnicas e temáticas em trabalhos que abordam o cotidiano das grandes cidades e seus sentimentos em relação ao urbano.

Rhayani Paschoalim, 24 anos. É designer de formação e trabalha como ilustradora. Desenha profissionalmente desde 2012.

Thaneressa Lima, 29 anos. É fotógrafa, videomaker e entusiasta do mundo das artes. Amante do cotidiano, faz do seu olhar instrumento. Autodidata e livre, busca na arte uma expressão poética e social a ser compartilhada sem censuras com a sociedade contemporânea e seus problemas humanos.

 
IMG_3965-2.jpg

RUA, ORGANISMO VIVO

O ponto de partida de LAMBE foram inquietações ante a relação da cidade com a arte, das pessoas em trânsito pela cidade com as intervenções diversas pelas ruas e prédios públicos e privados. Envolveu, também, o incômodo com os discursos que legitimam ou criminalizam as maneiras de se inscrever no espaço público. O que é permitido? O que é aceito? A lógica que questiona as linguagens artísticas e valida outdoors e os esquemas invasivos da presença da imagem publicitária na vida cotidiana interessa a quem? Ao cidadão? Quanto tempo dura nos suportes do espaço público intervenções espontâneas, destoantes, inesperadas, sem a funcionalidade dos comunicados comerciais que por vezes encontramos? Quais os espaços da arte? Existe um espaço próprio para a arte? LAMBE foi pensado como performance urbana sintonizada com todas essas questões, um happening registrado com finalidades documentais/etnográficas.

                                                                  - Roberto Camargos

Ficha técnica:

Direção: Roberto Camargos
Som direto: Alex Oliveira e Roberto Camargos
Imagens: Roberto Camargos e Yuji Kodato
Tratamento de som: Lucas Vidal
Artistas visuais: Alex Oliveira, Bruna Freitas, Daniel Rizoto, Lorraine Santana, Luiza Guedes, Mari Cecílio, Neia Assis, Olivia Franco, Paula Maria, Paulo Lana, Rhayani Paschoalim e Thaneressa Lima
Produção: Nóis
Incentivo: Programa Municipal de Incentivo à Cultura de Uberlândia
Patrocínio: Moinho Sete Irmãos, Landix e Eficaz: Sistemas Globais.